Banda demite cantora que defendeu “intervenção militar”

Banda demite cantora que defendeu "intervenção militar"

A banda curitibana Semblant anunciou hoje a demissão da vocalista Mizuho Lin, após ela ter postado vídeo apoiando as manifestações golpistas da extrema-direita, mas lamentou que o “povo foi burro por ter demorado demais para ir às ruas”.

O vídeo provocou uma reação em cadeia de boicote entre os fãs de outra banda, a holandesa Epica, que fará show em SP no próximo dia 19 (e em Curitiba no dia seguinte). O motivo é que a Semblant faria o show de abertura para a Epica.

Os fãs iniciaram campanha para que a participação da Semblant fosse cancelada. A banda passou a sofrer críticas e ataques nas redes sociais.

Sergio Mazul, líder, disse ao UOL que se sentia consternado e surpreso com as declarações de Mizuho, e que a banda não comunga das declarações de Mizuho.

Ele anunciou sua saída imediata do grupo (veja a íntegra da nota da banda ao final deste texto).

Ar de deboche

Demonstrando deboche e tédio, Mizuho diz no vídeo que “esse pedido (de intervenção militar) já deveria ter sido feito muito antes”.

“Mas, o povo burro, não pediu. Agora, depois da eleição, vai ficar putinho?”, diz. “Povo brasileiro sendo burro como sempre.”

Além da Semblant, a produtora do show, a Liberation, também passou a ser alvo dos fãs do Epica, uma banda de rock sinfônico (a Semblant é de death metal).

A irritação cresceu quando a Liberation não só se recusou a responder aos fãs, como apagou e excluiu os comentários deles. Em seguida, tirou a possibilidade de comentários no post.

“Nós, fãs do Epica, esperamos um posicionamento. Não adianta excluir e bloquear. Fora, Semblant”, postou um fã da banda holandesa.

“Eu sugiro que viremos as costas no momento em que a Semblant pisar no palco. Podem nos empurrar goela abaixo, mas não podem nos obrigar a dar atenção”, disse outra fã.

As hashtags #ForaSemblant e “NoSemblant se tornaram lemas entre os adoradores da Epica.

Outro lado

Essa é a íntegra da nota da Semblant:

“A Semblant vem a público informar que lamenta profundamente o ocorrido referente a um vídeo postado em mídia social, proferido por um de nossos membros. A opinião dessa pessoa e o que foi declarado não representa a opinião da banda e, por isso, todos nós pedimos desculpas.

A Semblant é formada por pessoas de diferentes pensamentos e estilos e, além disso, conta com uma equipe que trabalha com tanto afinco quanto seus músicos, movimentando e fomentando o cenário cultural.

Ressaltamos que esses pensamentos não refletem, de maneira alguma, a conduta ou pensamento da Semblant. A banda, nesses quase vinte anos de trabalho sério e dedicado, sempre teve a música como foco principal. A música, a arte e o metal são totalmente atrelados à democracia e à liberdade, e são esses os princípios nos quais a banda acredita, em suas diferentes formações.

A Semblant repudia também toda forma de preconceito, opressão ou ações contra a democracia.

Informamos ainda que, visando respeitar o trabalho de todos os demais envolvidos na turnê, a Semblant anuncia que substituirá a participação deste membro para as próximas apresentações já agendadas, em respeito ao público e ao evento.”

Procurada, a Liberation não respondeu ao pedido da coluna para se manifestar. Se o fizer, o texto será atualizado.

Também procurada, a vocalista Mizuho Lin não respondeu à coluna até o momento.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *