Bolsas caem após Fed mais duro que o esperado; reação aos ADRs, decisão do BoE e mais assuntos do mercado hoje

Bolsas caem após Fed mais duro que o esperado; reação aos ADRs, decisão do BoE e mais assuntos do mercado hoje

Os índices futuros dos Estados Unidos e bolsas da Europa operam em baixa, mesma direção de fechamento dos mercados asiáticos nesta quinta-feira (3), após o Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve, elevar a taxa de juros em 0,75 ponto percentual (p.p.), atingindo o intervalo de 3,75% e 4%.

Jerome Powell, presidente do Fed, disse que é possível que a instituição desacelere a alta dos juros a partir da próxima reunião mas defendeu também que isso não quer dizer que o ciclo de alta acabará, o que levou a uma derrocada dos mercados na véspera.

De acordo com o líder do Fed, dados recentes sugerem que o nível final da fed funds pode ir além daquilo divulgado anteriormente.

“Nossas decisões dependerão da totalidade dos dados recebidos e de suas implicações para as perspectivas da atividade econômica”, acrescentou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na véspera, repercutindo as falas de Powell, o índice Dow Jones Brazil Titans 20 ADR, que reúne as principais empresas brasileiras listadas na B3 com recibos de ações negociados nos Estados Unidos, fechou próximo das suas mínimas. O Dow Jones Brazil Titans 20 ADR registrou perdas de 3,46%, aos 17.284 pontos; confira o desempenho dos ativos.

Em indicadores dos EUA, investidores aguardam pelo saldo da balança comercial de setembro e pedidos de auxílio-desemprego semanal, ambos às 9h30 (horário de Brasília). Mais tarde, às 10h45 sai o PMI de serviços de outubro. ISM de serviços e encomendas à indústria completam a lista de dados econômicos nos EUA.

Acompanhe os destaques do mercado ao vivo

No noticiário político nacional, o presidente Jair Bolsonaro pediu na última quarta-feira (2) que manifestantes desobstruam as rodovias em todo país. Desde domingo (30), bolsonaristas fecharam rodovias em protesto contra o resultado da eleição, que deu vitória a Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Já a temporada de balanços ganha força com várias empresas previstas para reportar resultados nesta quinta-feira, com destaque para os números da Petrobras (PETR3;PETR4) após o fechamento do mercado. Outros destaques são Lojas Renner (LREN3), GPA (PCAR3) e Multiplan (MULT3).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

1.Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam em baixa nesta manhã de quinta-feira (3), estendendo as perdas registradas durante o pregão da véspera, depois que o Fed divulgou outro aumento da taxa de juros e sinalizou que nenhum pivô ou corte de taxa está previsto para tão cedo.

Os benchmarks chegaram a subir por algum período mas, após a coletiva de Jerome Powel, presidente do Federal Reserve, eles viraram para queda.

As bolsas de NY provavelmente continuarão pressionadas até que fique claro que a inflação desacelerou e que o Fed parará de subir os juros. Quaisquer dados que mostrem que a economia dos EUA não está desacelerando à medida que o BC americano aperta a política monetária provavelmente pesará sobre as ações.

O próximo indicador importante é o payroll, com os dados oficiais do mercado de trabalho americano, que vão ser divulgados na sexta-feira (4). O consenso Refinitiv, com a média das projeções do mercado, aponta para a criação de 220 mil vagas de trabalho em outubro, 43 mil a menos do que em setembro.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Dow Jones Futuro (EUA), -0,15%
  • S&P 500 Futuro (EUA), -0,23%
  • Nasdaq Futuro (EUA), -0,34%

Ásia

Os mercados asiáticos fecharam em baixa na quinta-feira depois que o presidente do Fed dos EUA, Jerome Powell , sinalizou mais altas de juros à frente depois de elevar as taxas em 75 pontos-base como esperado e chamar as discussões sobre a pausa do ciclo de aperto monetário de “prematura”.

  • Shanghai SE (China), -0,19%
  • Nikkei (Japão), -0,06%
  • Hang Seng Index (Hong Kong), -3,08%
  • Kospi (Coreia do Sul), -0,33%

Europa

Os mercados europeus operam em baixa na sessão de hoje, com investidores globais reagindo a mais um aumento da taxa de juros do Federal Reserve dos EUA.

O Banco da Inglaterra também deve implementar um aumento de taxa semelhante quando publicar sua última decisão de política monetária nesta quinta-feira.

  • FTSE 100 (Reino Unido), -0,48%
  • DAX (Alemanha), -0,79%
  • CAC 40 (França), -0,63%
  • FTSE MIB (Itália), -0,71%

Commodities

As cotações do petróleo operam em baixa nesta quinta-feira, com um dólar forte puxando o petróleo para baixo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os preços do minério de ferro sobem e engatam a terceira alta consecutiva, após forte perda mensal em outubro. O movimento reflete perspectivas de relaxamento na política de Covid zero da China.

  • Petróleo WTI, -1,63%, a US$ 88,53 o barril
  • Petróleo Brent, -1,32%, a US$ 94,89 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 1,12%, a 634,50 iuanes, o equivalente a US$ 86,74 

Bitcoin

  • Bitcoin, +0,07% a US$ 20.297,00 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

A agenda americana desta quinta-feira tem vários indicadores previstos, entre eles o saldo da balança comercial de setembro e pedidos de auxílio-desemprego semanal, ambos às 9h30. Mais tarde, às 10h45 sai o PMI de serviços de outubro. ISM de serviços e encomendas à indústria completam a lista de dados econômicos nos EUA.

Na Europa, após o Fed dos EUA elevar os juros na véspera, é a vez do Banco Central da Inglaterra tomar uma decisão sobre juros. O consenso Refinitiv prevê nova elevação de 75 pontos-base, para 3% ao ano.

No Brasil, a agenda de indicadores está esvaziada, contando apenas com a divulgação do fluxo cambial semanal.

Brasil

8h45: Roberto Campos Neto, presidente do BC, profere palestra no Santander International Banking Conference 2022, em Madri, Espanha

14h30: Fluxo cambial semanal

20h30: Campos Neto participa de reunião com o Embaixador Orlando Leite Ribeiro para tratar de assuntos institucionais, em Madri, Espanha. (fechado à imprensa)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

EUA

9h30: Balança comercial de setembro, com consenso Refinitiv projetando deficit de US$ 72,1 bilhões

9h30: Auxílio-desemprego semanal, consenso Refinivit espera 220 mil solicitações

10h45: PMI de serviços de outubro

11h: Encomendas à indústria de setembro, consenso Refinitiv prevê alta de 0,3% em relação a agosto

11h: ISM de serviços de outubro

Reino Unido

9h: Decisão de política monetária

Japão

21h30: PMI

3. Noticiário econômico

Risco de desabastecimento de combustíveis com bloqueios

A Federação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Biocombustíveis e Gás Natural (Brasilcom) alertou, por meio de nota, para o risco de desabastecimento de combustíveis em consequência das manifestações que vêm sendo realizadas em diversos Estados com bloqueio parcial ou total de estradas.

O Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), que representa as três maiores distribuidoras de combustíveis do país – Vibra (VBBR3), Raizen (RAIZ4) e Ipiranga (UGPA3) – também disse ter “grande preocupação” diante do “risco real de desabastecimento de combustíveis em alguns polos em todo o país”.

4. Noticiário político

Bolsonaro pede que manifestantes desobstruam as rodovias em todo país

O presidente Jair Bolsonaro pediu nesta quarta que manifestantes desobstruam as rodovias federais. Em vídeo divulgado nas redes sociais, o presidente afirma que “É preciso respeitar o direito de ir e vir das pessoas” e que os protestos em rodovias prejudicam a economia do país.

“Nós temos que ter a cabeça no lugar. Os protestos, as manifestações são bem-vindos, fazem parte do jogo democrático. Ao longo dos anos muito disso foi feito pelo Brasil, na Esplanada, em Copacabana, na Paulista. Mas tem algo que não é legal: o fechamento de rodovias pelo Brasil prejudica o direito de ir e vir das pessoas, está lá na Constituição”, disse Bolsonaro. “Desobstruam as rodovias, isso não faz parte das manifestações legítimas”, acrescentou.

Transição de governo começa hoje pelo orçamento

As mudanças no projeto do Orçamento de 2023 com vistas a atender as necessidades do novo governo vão ser discutidas formalmente em reunião marcada para esta quinta às 10h30. O relator-geral da Comissão Mista de Orçamento (CMO), senador Marcelo Castro (MDB-PI), tem encontro agendado com o senador eleito Wellington Dias (PT-PI), escalado pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva para tratar do tema, sete parlamentares da bancada do PT e o ex-senador Aloizio Mercadante.

O novo governo terá que obter algumas alterações na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2023 se quiser cumprir promessas de campanha como a manutenção do Auxílio Brasil em R$ 600, o aumento para os servidores públicos e o reajuste na tabela do imposto de renda. Em razão dessa urgência, a assessoria de Marcelo Castro já teve os primeiros contatos com a equipe do novo governo, segundo confirmou o relator em nota.

Covid

O Brasil registrou na última quarta 30 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 688.300 desde o início da pandemia.

Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 49. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -20%, indicando tendência de estabilidade pelo quarto dia.

No total, o país registrou 4.267 novos diagnósticos de Covid-19 em 24 horas, completando 34.882.932 casos conhecidos desde o início da pandemia.

5. Radar Corporativo

A Suzano (SUZB3) comunicou que concluiu, na terça-feira (1), a contratação de uma nova linha de crédito (Export Credit Supported Facility) para financiamento de equipamentos e serviços associados ao Projeto Cerrado.

O Export Credit Supported Facility será financiado pela Finnish Export Credit – FEC e garantido pela Finnvera, agência finlandesa de crédito à exportação, em um montante total de até US$ 800 milhões, ou o equivalente em euros.

A disponibilização dos recursos da nova linha de crédito pode ser solicitada com base nos pagamentos dos itens financiados do referido projeto, tendo prazo de disponibilidade de até 2 anos, com possível extensão, a contar da assinatura do Export Credit
Supported Facility.

PetroRecôncavo (RECV3)

A PetroReconcavo (RECV3) assinou conjuntamente com suas subsidiárias SPE Miranga S.A. e Potiguar E&P, em 01 de novembro de 2022, contrato para venda de suprimento de gás natural com a Transportadora Associada de Gás S.A. – TAG.

O contrato prevê o fornecimento em base firme de 50.000 m³/d de gás natural, tem vigência até 31 de dezembro de 2023 e previsão de início de fornecimento em 02 de novembro de 2022. O Contrato contempla ainda a possibilidade de fornecimento de
volumes adicionais, nas mesmas condições comerciais definidas para o volume firme, caso exista o interesse das partes.

Grupo SBF (SBFG3)

O Grupo SBF (SBFG3) reportou lucro líquido de R$ 14,9 milhões no terceiro trimestre de 2022 (3T22), desempenho 93,2% inferior ao reportado na mesma etapa de 2021, informou a companhia na terça.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) totalizou R$ 143,2 milhões no 3T22, um recuo de 43,2% em relação ao 3T21.

Vulcabras (VULC3)

A Vulcabras (VULC3) lucrou, de forma líquida, R$ 97,9 milhões no terceiro trimestre de 2022 (3T22), uma redução de 22,6% em relação ao mesmo período de 2021, informou a companhia na terça.

O lucro líquido recorrente foi de R$ 99,9 milhões no 3T22, um aumento de 35,7% sobre o 3T21.

(Com Estadão, Agência Senado e Agência Brasil)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *