Investir dinheiro no exterior: Todos podem? Como fazer?

Investir dinheiro no exterior: Todos podem? Como fazer?

Guardar dinheiro fora do Brasil pode ser atraente para proteger o seu dinheiro de crises, já que dá para manter sua poupança em moeda forte. Também pode ser uma boa ideia para guardar herança recebida de parentes no exterior, diversificar investimentos e por questões empresariais e familiares.

Qual a vantagem de guardar dinheiro lá fora? A moeda brasileira pode sofrer desvalorizações significativas em relação ao dólar ou ao euro. Se pretende fazer uma viagem internacional, é uma forma de garantir uma certa estabilidade do valor. Colocar o dinheiro fora do país também é um jeito de minimizar crises políticas e econômicas daqui.

Por isso, a possibilidade de fazer uma poupança em moeda estrangeira, mais especificamente em dólares, acaba atraindo a atenção de muita gente, declara Pedro Lafraia, planejador-chefe da casa de análises da TC, plataforma de educação financeira e de inteligência do mercado de capitais.

Cuidado a tomar: É importante saber quando você vai precisar desse dinheiro, porque pode haver gastos a mais ao converter em real novamente, caso a moeda brasileira esteja desvalorizada.

Vale para pessoas e empresas? Tanto empresas quanto pessoas podem guardar as economias fora do Brasil. Não há limites na legislação para pessoas enviarem legalmente recursos para fora do país na compra de ativos, investimentos ou mesmo manutenção de uma simples conta bancária.

Como mandar dinheiro para fora? A compra de moeda estrangeira para remessa ao exterior é normalmente feita por meio de bancos e corretoras autorizados a operar no mercado de câmbio.

Basta o cidadão realizar uma ficha de cadastro na instituição de câmbio e solicitar o envio do dinheiro. Dependendo do valor que deseja enviar, é preciso apresentar declaração de Imposto de Renda. Fora isso, cada corretora pode pedir documentos diferentes e também estipular um valor mínimo para a transação.

Marcos Weigt, head da tesouraria do grupo Travelex Confidence, empresa especializada em câmbio, afirma que o primeiro passo é abrir uma conta em um banco ou em uma corretora de investimentos no exterior. Então é o momento de enviar o dinheiro para a instituição escolhida. Nesse caso, é preciso realizar uma operação de câmbio, uma vez que será feita a conversão de real para a moeda local.

No Brasil, para fazer uma transferência internacional, é obrigatório que o processo aconteça por meio de corretoras de câmbio ou bancos autorizados pelo Banco Central a operar em câmbio.

Tenho que declarar Imposto de Renda? Todo residente no Brasil deve declarar todo seu patrimônio, dentro e fora do país. Ou seja, é preciso incluir dinheiro no exterior.

Dinheiro guardado fora do país é legal: Segundo Lafraia, em função de recentes escândalos de corrupção, há uma ideia errada de que todo patrimônio no exterior seria resultado de atividades ilícitas ou evasão tributária.

Todavia, há muitos anos a remessa de recursos para outros países é legal e autorizada, bastando ao interessado utilizar os canais adequados disponíveis e cumprir a legislação aplicável.

É preciso pagar taxas? Marcos Weigt esclarece que os custos são os mesmos de uma operação de câmbio. O valor pago será a cotação do dólar comercial mais o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Os procedimentos para o envio de dinheiro são simples. Basta o cidadão preencher uma ficha de cadastro na instituição de câmbio e solicitar o envio do dinheiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *