Segura, Renata Silveira cumpre missão e abre portas para narradoras na Copa – 22/11/2022

Segura, Renata Silveira cumpre missão e abre portas para narradoras na Copa - 22/11/2022

GET FREE FOLOWERS TIKTOK

GET FREE INSTAGRAM TIKTOK

A estreia de Renata Silveira nas transmissões da Globo na Copa do Mundo de 2022 não foi evento qualquer. O jogo Dinamarca x Tunísia foi o primeiro a ser narrado por uma mulher na história do evento na TV aberta brasileira. A missão trazia consigo um peso de 52 anos de exibições da maior competição do planeta em nossos televisores, uma trajetória narrada apenas por homens desde 1970. E tudo correu muito bem.

Renata esteve segura em toda a transmissão, que tinha o componente emocional do envolvimento da narradora com a história do jogador Christian Eriksen. O dinamarquês sofreu uma parada cardíaca durante jogo contra a Finlândia na Eurocopa disputada no ano passado, quando ela estava no comando da jornada no SporTV.

Foram quase duas horas segurando a transmissão sem muitas informações, com replays em sequência do momento da queda do atleta do gramado, na espera de atualizações sobre o estado de saúde de Eriksen. Quem viu aquele momento já sabia que Renata Silveira estava preparada para voos mais altos na carreira.

O jogo de estreia em Copas na TV aberta não ajudou muito, já que o empate em 0 a 0 teve poucos momentos de grandes emoções. Renata não subiu o tom além do necessário e nem tentou criar artificialmente esses sentimentos. Há quem goste desse estilo, há quem não goste. Questões de opinião sobre como cada pessoa narra uma partida não cabem em uma análise sobre um feito histórico como o de hoje.

Mais importante é ressaltar que o papel de relatar uma partida de Copa do Mundo em uma das maiores emissoras do mundo foi seguido à risca. Renata, como tantas outras mulheres nas diferentes funções do jornalismo esportivo, estava sujeita a críticas mais pesadas simplesmente por ser uma mulher narrando um jogo. É preciso separar quem simplesmente não aceita essa evolução das transmissões de quem faz apontamentos no sentido de sugerir melhorias.

Esse primeiro grupo não “ganhou” qualquer argumento hoje, não houve erros e deslizes importantes, e Renata provou que merece o lugar que ocupa na Globo. A missão foi cumprida e, mais importante ainda, o caminho está pavimentado para mais narradoras no futuro da TV aberta. Mulheres apaixonadas por futebol e pela narração agora podem sonhar com uma Copa do Mundo também.

GET FREE FOLOWERS TIKTOK

GET FREE INSTAGRAM TIKTOK

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *